24 de setembro de 2020
Olhar Brasilia

Humberto Araújo

Samanta Sallum

Ocupa que muda! Do estresse à diversão

Tempo de leitura: 1m 10s

A reinvenção dos setores. Como um dos pontos nevrálgicos do Plano Piloto, o Setor Comercial Sul,  está se tornando referência de cultura e lazer.

Então hoje é terça-feira, e pensar em passar pelo Setor Comercial Sul nos remete à estresse. Trânsito infernal, sensação de insegurança e tumulto, sujeira. À noite, então, um lugar obscuro. A palavra diversão seria a última que passaria pela cabeça. Mas essa é uma imagem defasada da região para quem não a frequenta habitualmente.

Qual é a sua Brasília? Pode ser a de um caótico Setor Comercial Sul sinônimo de concentração de edifícios de escritórios de trabalho. Mas também pode ser a de uma região que, ao fim da tarde, é agradável como setor de atividades culturais, com programação variada ao longo da semana.

“Temos hoje um outro Setor Comercial, que tem tudo para ser a Lapa de Brasília. O Conic também tem essa vocação”, diz o jornalista e promotor cultural Márcio Leal, um dos sócios do Canteiro Central, que promove festas, exposições e shows. Aberto há 6 meses, transita pelo funk, jazz, samba, música eletrônica e MPB. E hoje, terça-feira, tem teatro-bar, a partir das 19h.

Quando as pessoas ocupam positivamente um local público, tudo vem em consequência, como mais segurança e benfeitorias urbanas.  O encanto de uma cidade é quando ela se reinventa, se reocupa e promove mudança de cenários”

O movimento de ocupação do Setor Comercial Sul por gente que aposta na efervescência do local – há vários coletivos atuando por lá, grupos de jovens empreendedores promovendo arte e lazer – está dando cara nova para aquelas ruas, até então passarelas para o vaivém frenético de pessoas cumprindo obrigações. Entre os pontos favoráveis, estão a privilegiada localização central no Plano Piloto, a distância de área residencial, o que evita atritos com a vizinhança por causa do barulho e do movimento no local. E, no início da noite, é mais fácil estacionar.

Quando as pessoas ocupam positivamente um local público, tudo vem em consequência, como mais segurança e benfeitorias urbanas.  O encanto de uma cidade é quando ela se reinventa, se reocupa e promove mudanças de cenários. O agito cultural do SCS chamou a atenção do GDF, que traçou um plano de melhoria, por meio da Secretaria de Habitação, para “requalificar” o setor, dar mais condições para que a população possa usufruir o espaço.  Então está feita a comunhão, digamos o acordo, entre o estresse e a diversão. O primeiro aprendeu a dividir o espaço com o outro. Ocupa que muda!

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta