28 de outubro de 2020
Olhar Brasilia

Zuleika de Souza

Circuito SZ

Uma tarde de conversa na banquinha

‏É preciso olhar Brasília com carinho, mas também com pensamento crítico. O site Olhar Brasília é um convite permanente à reflexão sobre a nossa qualidade de vida. E, quando a gente tem a chance de fazer isso cara a cara, é muito melhor.

Foi assim a 1a roda de conversa do Olhar Brasília, na Banquinha da Conceição. Uma tarde descontraída, agradável e engajada, que reuniu cerca de 50 pessoas na 308 Sul, quadra modelo do plano de Lucio Costa. Encontro que promoveu uma troca de olhares diversos sobre a nossa capital. Celebramos o que ela tem de bom e discutimos ações para denunciar o que vai mal. Porque acreditamos que o site e a cidade se constroem assim: com a participação de todos!

Moradores, arquitetos e o poeta Nicolas Behr, no centro, de óculos escuros, falando sobre presente, passado e futuro de Brasília.

Da esquerda para a direita, a arquiteta Tania Batella, do Instituto Histórico e Geográfico do DF, o arquiteto e fotógrafo José Roberto Bassul, o ex-superintendente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) Cláudio Queiroz, e a antropóloga Sandra Beatriz Zarur. 

Samanta Sallum com a dona da Banquinha, a jornalista e cronista de Brasília Conceição Freitas.

 

Marcia Zarur e o idealizador da página Histórias de Brasília, João Carlos Amador, com o celular em punho, mediando a conversa e transmitindo ao vivo nas redes sociais.

 

 

  

A escritora Alessandra Roscoe (centro), indicada ao prêmio Jabuti, contou histórias divertidas sobre os temidos “graminhas” da primeira década da capital e cantou músicas que fazem parte da história da cidade, do Liga Tripa e Mel da Terra.

Você também pode gostar

2 Comentários

  • Reply
    Marcela Mihessen
    2017-08-14 at 13:07

    Que legal! Muito gostoso de se ver! Parece reuniãozinha de cidade do onterior na beira da calçada! Amei!

    • Reply
      Marcia Zarur
      2017-08-28 at 13:12

      Bem isso! Conversa informal, mas muito produtiva!

    Deixe uma resposta