19 de maio de 2019
Olhar Brasilia
Espaço convidado

Um amor português-candango

Convidado: Silvestre Gorgulho é jornalista, ex-secretário de Cultura e um apaixonado por Brasília.

ADRIANO JORDÃO E BRASÍLIA
Adriano Jordão é um brasiliense de amigos, de compromissos e de grandes parcerias culturais com a cidade. Plantou uma cultura universal profunda da música e da literatura com a capital do Brasil. Plantou tantas maravilhas para Brasília que merece colher um título de Cidadão Honorário.

AMOR À PRIMEIRA VISTA
O pianista Adriano Jordão chegou aqui nos anos 70. Sua primeira colaboração foi com a UnB, onde apresentou a Viagem de Inverno, de Franz Schubert, com o barítono Oliveira Lopes. Teve a colaboração do então professor na Universidade Christopher Bochmann. E gostou tanto da cidade que passou a atuar muitas vezes no Teatro Nacional, ainda com o maestro Claudio Santoro. Depois, foi ao lado dos principais maestros de Brasília, Silvio Barbato e Ira Levin, que repetidamente apresentou muitos concertos. Vale citar algumas peças:
– O concerto em Fá Maior de Chopin;
– Ambos os Concertos de Ravel (para a Mão Esquerda e Concerto em Sol);
– Concertos de Mozart
– Dó Maior e Dó menor de Beethoven
– Variações Sinfônicas de César Franck.

PARCERIAS COM BRASILIENSES
Escolheu também atuar com musicistas de câmara ao lado de brasilienses, especificamente com o Quarteto de Brasília ou a recém-formada Sociedade de Concertos de Brasília. Ainda como músico, levou à Europa o Hino Nacional Brasileiro, de Gottschalk, tendo atuado em Roma, na Praça Navona, como solista da Orquestra Sinfônica de Brasília. Convidado pelo embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima. Repetiu o programa de Roma numa apresentação em Lisboa, no Mosteiro dos Jerónimos. Convidado pelo embaixador Sampaio Goes. Mesmo sendo pianista português, representou Brasília em Bucareste, a pedido do embaixador do Brasil na Romênia, Jerónimo Moscardo. Foi uma apresentação inesquecível na principal sala de concertos, a famosa Ateneul Roman, ao lado da Orquestra Filarmónica George Enescu, a mais importante orquestra do país. Mais uma vez, num 7 de setembro, tocou a versão para piano e orquestra do Hino Nacional Brasileiro, de Gottschalk, em homenagem ao Dia da Independência.

CONSELHEIRO DA EMBAIXADA EM BRASÍLIA
Em 2004, já apaixonado por Brasília, Adriano Jordão assumiu as funções de Conselheiro Cultural na Embaixada de Portugal e estabeleceu um laço muito forte com a capital brasileira, cidade que considerou sempre como também sua. Fez de sua residência em Brasília, na Q.I. 19 do Lago Sul, um verdadeiro Centro de Cultura, desenvolvendo laços entre os principais promotores culturais brasilienses e europeus. Adriano Jordão participou e incentivou inúmeros festivais gastronômicos em Brasília, trazendo os mais renomados chefs da cozinha portuguesa.

ABRINDO CAMINHO PARA A TAP
Desde há muitos anos ligado à aviação comercial (foi nomeadamente presidente da holding que representava a Air India em Portugal), lutou esforçadamente para o estabelecimento da ligação aérea Brasília/Lisboa, tendo feito parte do grupo que conseguiu o interesse da TAP. Por uma emissão para a Rádio Televisão Portuguesa, em direto desde Brasília (a partir do Teatro Nacional), conectou a então secretária de Turismo, Lúcia Flecha de Lima, e o secretário de Cultura, Pedro Bório, no apelo pela concretização da ligação aérea. E, pessoalmente, pressionou diversas vezes a administração da TAP até se conseguir o desejado resultado.

IMPORTANTE: Iniciada a linha aérea, criou uma verdadeira rede de apoio às tripulações que vinham a Brasília.

PRAÇA DA LÍNGUA PORTUGUESA
Já na gestão do secretário de Cultura Silvestre Gorgulho, conseguiu a oferta a Brasília em nome do Governo português, de um painel de 30 metros do mais reputado pintor português, Júlio Pomar. Esse painel encontra-se hoje oferecido a todos os brasilienses na Praça da Língua Portuguesa, junto da Biblioteca Nacional, em plena Esplanada dos Ministérios. ADRIANO JORDÃO cumpriu sua missão oficial em Brasília de 2004 a 2013. Regressou a Portugal, mas Brasília não saiu de seu coração de suas ações culturais. De dois em dois meses, está se apresentando no Brasil, e, como não podia deixar de ser, volta a Brasília para rever os amigos e encantar brasilienses com a sua arte: o piano.

PONTES CULTURAIS
Em Portugal, continua a estabelecer pontes com Brasília: diretor do Festival de Sintra, leva a Portugal a mais importante pianista brasiliense, Ligia Moreno, que atuará em maio próximo no Auditório da Marquesa de Cadaval (onde já se apresentaram os maiores nomes da música internacional, inclusive o brasileiro Nelson Freire). Brasília precisa reconhecer o trabalho, a dedicação e o amor que o pianista Adriano Jordão sempre nutriu pela cidade. O Título de Cidadão Honorário seria o reconhecimento de Brasília ao seu trabalho e seria, também, sua alegria maior. Não há mais como falar em Adriano Jordão sem lembrar Brasília. E vice-versa.

O concerto do pianista Adriano Jordão, com a Orquestra Sinfônica de Brasília, será no Cine Brasília, 106/107 Sul, na terça 29/9, às 19h45. Na programação, abertura com Franz Schubert- Sinfonia no.8,;Ludwig van Beethoven- Concerto no.3 em do menor para piano e orquestra Op.37 e encerramento com Rimsky Korsakov – Capricho Espanhol Op.34.

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta