Olhar Brasilia

Fotos: Daniela Abreu

Marcia Zarur

Presente de Natal para uma criança? Um calçado qualquer…

Esse é o pedido de fim de ano da maioria das crianças do Sol Nascente. A segunda maior favela do Brasil fica aqui – dentro do nosso quintal brasiliense. E é esta a realidade de meninos e meninas, que não conseguem imaginar um presente melhor…

Brasília se comoveu com o aluno de 8 anos que desmaiou de fome, esta semana, numa escola do Cruzeiro. Ele percorre, todos os dias, 30 quilômetros para chegar ao colégio, com quase nada no estômago. Quantos, como ele, estão nessas condições aqui no DF?

Muitos vivem essa realidade, e alguns nem escola têm. Quando a crueldade da vida atinge os seres mais indefesos e vulneráveis, a gente percebe que há alguma coisa muito fora de sentido neste mundo. Dói o coração imaginar o que essas crianças passam. E tão perto de nós!

Esta semana, visitei o Sol Nascente num evento, promovido pela Globonews, para apresentar o documentário sobre a cidade aos alunos de uma das duas únicas escolas existentes. Lá conheci a história dos que têm a chance de estudar e ajudam os que ainda não conseguiram vaga.

E no meio da carência absoluta, é a solidariedade que abre caminhos de esperança. Margarida Milech acolhe quase 150 crianças na Associação Despertar, onde os “monitores mais estudados” ajudam os menores. Driblando as privações, eles conseguem manter a instituição e neste Natal fazem um pedido singelo: um par de tênis para uma criança. Mas pode ser material escolar também, ou roupa, ou um par de meias…

Parece mentira que isso aconteça a pouco mais de 35 quilômetros da sede dos Três Poderes, com prédios recheados de políticos acusados de corrupção!

Eu sei! Não adianta exercer a solidariedade apenas em datas específicas. Não resolve o problema uma ajuda pontual. E parece que uma ação isolada não vai transformar o mundo. Mas hoje eu peço por essa instituição do Sol Nascente, ou qualquer outra que cuide de crianças. Não deixe de ajudar os espaços que olham por elas e com sacrifício e fé apostam no futuro dessa garotada.

Se você quiser ajudar a Associação Despertar, entre em contato com a diretora, Margarida, pelos telefones 98585-9130 ou 3461-5611, ou com a coordenadora de adolescentes, Paula, pelo 99503-2417. E se quiser fazer uma visita, o endereço é Condomínio Gênesis, Conjunto F, casa 11 – no Sol Nascente, Ceilândia.

E se você quiser ver o documentário do jornalista Murilo Salviano e conhecer um pouco mais da realidade do Sol Nascente, acesse: https://globosatplay.globo.com/globonews/v/6154960/

  Margarida Milech, da Associação Despertar do Sol Nascente     

  Daniela Abreu, coordenadora da Globonews em Brasília, com as crianças do Sol Nascente

  Margarida e as crianças na Associação Despertar  

Com Murilo Salviano na Escola Classe 66 do Sol Nascente

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta