19 de abril de 2021
Olhar Brasilia
Samanta Sallum

O terrorismo que nos ronda

Uma briga de vizinhos que acabou em tragédia. O assassino tinha um arsenal de armas e munição em casa. Parecia estar em busca da oportunidade para saciar seu desejo de violência.

Esse é o terrorismo que nos ronda. Armas nas mãos de pessoas desequilibradas. E que podem ser até nossos vizinhos, como aconteceu, no fim de semana passado, num condomínio no Jardim Botânico.

O pai, de 49 anos, e o filho de 21 foram mortos a tiros pelo vizinho. É preciso se refletir mais uma vez sobre o desarmamento. O assassino tinha porte de arma, era segurança da PGR. Mas que segurança é essa feita por malucos?

Brasília está triste, de luto, assustada. Nos últimos dias, tivemos notícia de histórias de mortes trágicas e violentas. 

Um aluno da UnB, de 29 anos, morreu esfaqueado na região central do Plano Piloto, na semana passada, durante assalto para levar uma bicicleta.

O desespero da mulher que perdeu o marido e o filho cobrando punição ao assassino é o grito de alerta do brasiliense por segurança e também por justiça.”

É um caminho que começa com as polícias, passa pelo Ministério Público e chega ao Judiciário. Um caminho que passa pelo desarmamento também. Além de ações sociais e de educação principalmente voltadas aos jovens.

Casos que nos fazem repensar os rumos da nossa cidade. Todas as regiões do DF sofrem com a violência, mas parece que é preciso acontecer na região central para chamar a atenção de todos.

Não estamos aqui só falando de segurança pública, mas de civilidade, de cidadania de forma geral. E a campanha do site Mexeu com Brasília, Mexeu Comigo não é para enaltecer apenas a cidade, mas sim para cobrar soluções e lutar para que ela não se transforme em mais uma metrópole caótica e violenta. 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta