7 de julho de 2020
Olhar Brasilia
Marcia Zarur

Fica, Martinica!

Brasília tem uns cantinhos que são a cara da cidade e, mesmo que a gente passe um tempão sem ir lá, esses espaços estão na nossa memória afetiva e coletiva. É incrível como o que mexe com as nossas tradições candangas mobiliza os moradores.

O anúncio de fechamento do Martinica Café, na 303 Norte, comoveu levas de brasilienses. Isso foi há quase um mês e acabou virando uma imensa campanha nas redes, o #FicaMartinica.

Mas o que começou virtualmente foi saindo das telas dos celulares e computadores e foi ocupando as mesinhas com gente de verdade. Olhos nos olhos. Conversa, comemorações e gargalhadas. O que a crise econômica esvaziou, o afeto foi ajudando a preencher. E inexplicavelmente foi dando uma vontade danada de voltar ao Martinica!

Os donos, Jurema e Joel, muito queridos na cidade, se sentiram abraçados e apoiados a tal ponto que estenderam o prazo. O fechamento, que seria em 2 de dezembro, passou pra 22. Ganharam fôlego, ganharam público e ganharam um fio de esperança de não fechar.

Foi um tal de reunir a galera no Martinica. E teve feijoada, turma do gamão, noite de poetas… Todo mundo tentando movimentar de novo a casa. Homenagens calorosas. E depois ainda tem gente com a coragem de dizer que Brasília é uma cidade fria. Pode?!

Noite Cultural

No próximo sábado, dia 16, a partir das 18h, vai ter uma linda noite cultural com a música de Célia Porto, Rênio Quintas e Eduardo Rangel. E vai ter poesia com Luis Turiba e uma turma de gente que não quer nem pensar em passar pela Asa Norte e não ver mais o Martinica por lá.

Nós, do Olhar Brasília, fazemos parte dessa turma e queremos muito que um dos cafés mais charmosos de Brasília tenha vida longa.

Vamos trocar o adeus por ‘Fica, Martinica!’

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta