12 de janeiro de 2018
Olhar Brasilia

Ana Rayssa

Lá na minha rua

Mart’nália e escolas de samba na Torre de TV

“A gente já espera o ano inteiro pelo carnaval da cidade”, diz o produtor cultural Emmanuel Queiroz. Ele e milhares de foliões são prova de que a festa na capital vem crescendo e ficando cada vez melhor. E  já começou! O esquenta dos blocos vai até o final do mês e dia 2 de fevereiro vai rolar muito samba na Torre de TV com a participação de seis escolas de samba e shows de Mart’nália e Xande de Pilares.

Para este ano, são esperadas cerca de 2 milhões de pessoas nas ruas do Distrito Federal pulando carnaval.  Em 2017,  foram 1,5 milhão. O GDF, por meio da Secretaria de Cultura, garante que vai fornecer ainda mais apoio para a folia nas ruas. E fechou parceria com a Ambev para angariar recursos para os blocos. Os investimentos vão chegar a R$ 6,4 milhões.

A Secretaria de Cultura vai  contratar de 40 músicos para animar o carnaval de rua. Não faltarão opções para quem pretende festejar por aqui, com os mais de 100 blocos espalhados pela capital. “Eu e meus amigos passamos em três ou quatro blocos por dia”, conta Emmanuel. O pré-carnaval começou com o Suvaco da Asa, no início do mês. 

Segundo a secretaria de Cultura, entre as capitais, Brasília tem a quinta maior festa, em relação ao número de foliões. “Hoje já pode ser comparado aos grandes carnavais, como do Rio, Salvador e Pernambuco  que, na minha opinião, são os melhores”, diz Marcia Regia da Silva, 45 anos.

A auxiliar de cozinha, que adora sair fantasiada pelos blocos, costumava ir para fora durante o período. Mas, depois de ir pela primeira vez ao Galinho e com cada vez mais opções de eventos,  passou a se divertir na cidade. E espera ansiosamente pelo Babydoll de Nylon e o Pacotão deste ano.

“Aqui ocorre um carnaval que tem bastante diversidade cultural. No meio de uma festa, alguém começa a tocar Spice Girls e Rouge, por exemplo, aí todo mundo faz as coreografias. É a cara de Brasília pegar o que seria o tradicional e transformar”, diz  o produtor cultural.

Emmanuel ganhou duas vezes o prêmio por melhor caracterização no Virgens da Asa Norte, bloco que recebeu mais de 10 mil foliões na última edição. O objetivo do evento é abraçar as pessoas de todas as etnias, expressões culturais, credos e orientações sexuais. E a largada é dada com o pré-carnaval, que acontece gratuitamente no Museu Nacional, no próximo dia 20 com Virgens da Asa Norte bateria da Aruc.

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta