8 de Fevereiro de 2018
Olhar Brasilia

Juarez Dantas

Marcia Zarur

Depois dessa semana, você confia nas pontes e viadutos de Brasília?

Eu não confio mais! Andar de carro pela cidade se transformou num exercício de observação e apreensão. Um tormento! A gente agora repara nos detalhes dos cantinhos, goteiras, rachaduras e buracos. Depois de dois desabamentos seguidos, na garagem da Asa Norte e no viaduto do Eixão, os sentidos ficam mais aguçados e a sensação de medo é real.

No meu trajeto diário pra levar os filhos pra escola, tem um dos viadutos condenados pelo relatório do TCDF em 2011, bem no meio do caminho. Passo pela S2, debaixo do dito-cujo, e confesso que desde terça o sentimento é diferente.

Há mais de 7 anos essa estrutura pede socorro, assim como tesourinhas e pontes, espalhadas pelos nossos caminhos de rotina. Mas não imaginávamos que a situação era tão grave. Quem mora no Lago Norte está em pânico. Os moradores fizeram até abaixo assinado exigindo o óbvio: reparos na Ponte do Bragueto, antes que ela caia!

Nas redes sociais, avalanches de reclamações e denúncias. Tem muito mais construções em xeque do que mostram os relatórios. A Rodoviária do Plano Piloto é citada o tempo todo. E já virou tema de carta da arquiteta Maria Elisa Costa para o IPHAN. Ela pede uma avaliação minuciosa da obra – que é uma das espetaculares criações de seu pai.

E se?

Espero sinceramente que o desabamento tenha sido o ‘mal necessário’ para obrigar os governantes a cuidarem do básico. São anos e anos de negligência, descaso e omissão. A manutenção periódica abandonada e nossas vidas em risco. Impostos altíssimos e nenhuma contrapartida. Até quando?

E se o desabamento da garagem na Asa Norte tivesse acontecido num dia de semana? E se a queda do viaduto tivesse sido num dia de festa Makossa ou no carnaval, quando centenas de pessoas se concentram ali, debaixo do concreto corrompido? E se Brasília fosse palco de uma imensa tragédia?

Não gosto nem de pensar, e continuo agradecendo o milagre de ninguém ter se ferido nesses desastres. Ao mesmo tempo é preciso ter a dimensão do que poderia ter acontecido, pra cobrar com ainda mais rigor a responsabilidade de quem está gerindo a cidade. A culpa é deste governo e do que veio antes, e do anterior, e do anterior… A culpa é de todos os governos, que não fazem o mínimo! 

Você também pode gostar

2 Comentários

  • Reply
    Monica
    8 de Fevereiro de 2018 at 22:50

    Agora todos nós vamos olhar pra cima ao passar embaixo de viadutose olhar para os lados nas pontes principalmente os arcos da jk

    • Reply
      Marcia Zarur
      26 de Fevereiro de 2018 at 10:33

      Verdade! Todo mundo com medo!

    Deixe uma resposta