22 de julho de 2019
Olhar Brasilia

Amaro Junior

Lá na minha rua

Nossa cidade caindo aos pedaços…

Situação complicada a nossa! Brasília tão linda, referência de arquitetura e modernidade para o mundo, passando o vexame e o medo de estar caindo aos pedaços. Dá aflição passar pelas ruas da cidade, nem o Aeroporto de Brasília, tão bem avaliado nos últimos anos, oferece a segurança que merecemos! 

Um desabamento atrás do outro, um susto atrás do outro. Ontem, foi parte do teto do salão de embarque do Aeroporto de Brasília que veio ao chão, ferindo uma pessoa e assustando passageiros e funcionários. Não é a primeira vez que isso acontece.

Há pouco mais de 15 dias, uma televisão instalada em cima do balcão de atendimento de um restaurante, na área de embarque internacional, se desprendeu levando parte do teto junto. Foi o primeiro susto, sem feridos.

O funcionário ferido no desabamento de ontem foi atendido, encaminhado ao Hospital de Base, e liberado em seguida. A administração do aeroporto desta vez culpou a chuva. “Uma calha de escoamento de água pluvial sofreu entupimento, causando o descolamento de uma placa do forro do Terminal. O incidente provocou um vazamento de água em frente ao portão 17”, esclareceu a Inframerica, empresa responsável pelo aeroporto.

Apenas a área onde o teto desabou foi isolada e já está sendo restaurada. O aeroporto está funcionando normalmente, mas o clima entre as pessoas que transitam por lá é de apreensão. Há receio de que outras áreas estejam sob risco.

Fevereiro está sendo o mês dos sobressaltos. Por milagre, grandes tragédias não se concretizaram. Primeiro foi a queda do teto da garagem na 210 Norte, esmagando os carros, depois o desmoronamento de parte do viaduto do Eixão, e agora o segundo desabamento de parte do teto do aeroporto. Em vista do que podia ter acontecido, o saldo de apenas um ferido leve nos faz acreditar que o santo brasiliense é mesmo forte. Amém!

Onde mora o perigo

Foi preciso acontecer quase uma grande tragédia no Eixão para que os principais viadutos e pontes da cidade passassem por vistorias. E constatou-se o que já se imaginava: são necessárias e urgentes as obras de reparo e manutenção. Segundo as equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil, a Novacap, do Departamento de Estradas de Rodagem, do DER-DF e da Defesa Civil, alguns pontos estão críticos. O que já tinha sido alertado anos atrás pelo Sindicato da Construção Civil e também por técnicos do Tribunal de Contas do DF. Segue a lista do pontos problemáticos:

-As pontes Honestino Guimarães e do Bragueto
-Viaduto sobre a DF-002 próximo à saída do Buraco do Tatu no sentido Norte-Sul.
-Viaduto sobre a N2 (esse viaduto fica no Eixão Norte ao lado do Conjunto Nacional e passa perpendicularmente à via N2).
-Viaduto sobre a S2 (esse viaduto fica no Eixão Sul e passa perpendicularmente à via S2 próximo ao Conic).
-Tesourinha que dá acesso às quadras 203/204 Sul.
-Tesourinha que dá acesso às quadras 215/216 Sul.
-O estacionamento do shopping Conjunto Nacional.
-Ginásio Cláudio Coutinho e Rodoviária do Plano Piloto.

 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta