12 de novembro de 2019
Olhar Brasilia
Vitrine Cultural

Os cantinhos da literatura candanga

“alguma coisa
também acontece
no meu coração
que só quando cruzo
a W3, a L2
ou o eixão”
Nicolas Behr

A nossa cidade se afirma também na literatura. Deixa sua marca e ganha cada vez mais espaço. Livros que falam sobre Brasília, e os escritos por autores daqui, já se tornaram xodó do público brasiliense.

Há cantinhos na cidade que são totalmente dedicados à ‘prata da casa’, como a banquinha da Conceição, na 308 Sul. De cima a baixo, prateleiras repletas de títulos sobre Brasília e de escritores candangos. E ali no quintal, acontecem os lançamentos e as rodas de conversa. Encontros que discutem de tudo um pouco, aproximam as pessoas e humanizam o nosso concreto armado.

Os apaixonados por livros também encontram espaço para novos títulos brasilienses, varais literários e debates na Visconde Livraria e Café, na 405 Sul. É o palco das reuniões do Mulherio das Letras de Brasília. Um grupo de escritoras que produz muito e representa a cidade no Brasil e no Mundo.

No rol dos espaços tradicionais aparece o Sebinho, na 406 Norte, com saraus e apresentações literárias e musicais. Para garimpar títulos raros, ou tomar um café acompanhado de um bom livro, a loja é sempre um convite.

E por falar em tradição, não dá pra esquecer a agenda cultural do T-Bone, na 312 Norte, que já entrou no calendário brasiliense. Um espaço que privilegia o prazer da leitura e foi pioneiro em oferecer livros nas paradas de ônibus da W3. E valorizando, sempre, os escritores com o DNA candango.

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta