2 de março de 2018
Olhar Brasilia
Saúde

Chega de desculpas! Está na hora de se exercitar – de verdade

Por Cristina Calegaro

Todo fim de ano as pessoas ficam eufóricas e fazem milhares de promessas para o novo ano. É a chance de recomeçar com as energias renovadas e a esperança de que tudo seja melhor. E é quando surgem as famosas listas de promessas. Até aí tudo lindo e perfeito. Motivação em alta, metas traçadas e a expectativa pelo 1º de janeiro para pôr em prática o primeiro item: iniciar uma atividade física.

Já estamos quase em março, e aí? Desanimou? Quantas desculpas você vai dar? Depende do que para começar? Vai ser vítima novamente? Vai se esconder até quando atrás das suas justificativas, reclamações e críticas?

Vamos ser práticos: o que está faltando para você dar o primeiro passo? Mudar seu hábito de vida não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. Para assumir a direção do seu destino, é fundamental se cercar de valiosas informações.

Primeiro: trace metas específicas!

Experimente trocar “começar exercícios físicos’ por “natação, segundas, quartas e sextas, às 8h”.

Segundo: estabeleça metas mensuráveis!

Você deve quantificar e anotar o que fez. Por exemplo: em 1º/1, nadei 500m de crawl; em 3/1, nadei 600m de crawl, e assim por diante.

Terceiro: a meta tem que ser alcançável!

“Correr 1 hora todos os dias” ou “fazer crossfit todos os dias” não são metas fáceis de serem cumpridas, mesmo que você já tenha alcançado esse ritmo no passado. Se não tiver ideia de como definir objetivos que você realmente consiga cumprir, consulte um especialista, um profissional de educação física. 

Quarto: monitore o seu progresso ao longo do tempo!

É estimulante olhar pra trás e ver uma série de mudanças (mesmo que pequenas) e perceber que, pouco a pouco, você está se aproximando da meta proposta.

É muito importante, ao estabelecer um objetivo, levar em conta o que você conhece de si mesmo. Esqueça a “grama do vizinho”, esqueça o nível em que os outros estão e concentre-se em você com uma meta realista, dentro da sua capacidade. A inclusão da atividade física na nossa rotina demanda tempo. Assim, estabelecer objetivos quase impossíveis para o período proposto é uma furada.

Um exemplo de intenção que não costuma ir pra frente é uma pessoa que não pratica atividade física falar “em três meses, vou correr uma maratona”. Mesmo com muito esforço, a chance de não conseguir é realmente grande. 

As promessas de fim de ano são um combustível excelente para mudar hábitos e comportamentos, mas, assim como outros combustíveis, precisa ser usado da maneira certa. E tenha certeza: a mudança não só é possível, como pode ser extremamente prazerosa.

Cristina Calegaro é profissional de educação física, ex-presidente do  Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região – CREF7/DF. Especializada em reabilitação cardiopulmonar, é fundadora da Academia VITAL RECOR, voltada para o aprimoramento da qualidade de vida e condicionamento físico de pessoas acima de 40 anos. Informações: (61)  3242-2157

Você também pode gostar

Um comentário

  • Reply
    Marcela
    10 de março de 2018 at 00:03

    Realmente, pequenas metas é o melhor para começar! Minha meta é correr na rua pelo menos uma vez na semana! Estou conseguindo! E uso um aplicativo que me incentiva muito… anotar o que já fez é importantíssimo para manter o pique!

  • Deixe uma resposta