16 de junho de 2019
Olhar Brasilia
Samanta Sallum

O bode berra na sala de sede. Mas pode morrer afogado

Brasília está preparada para o evento internacional mais importante que vai ocorrer este ano no país? O Fórum Mundial da Água. O que vamos mostrar para o mundo? E os brasilienses estão sabendo que vamos receber quase 8 mil pessoas, de cerca de 150 países, para debater a gestão dos recursos hídricos do planeta?! 

Racionamento, chuvas e Fórum Mundial da Água. No que pode dar essa combinação? Há mais de 1 ano sofremos com o racionamento de água na capital. O nível do reservatório do Descoberto chegou a 5%, quase zero. Uma calamidade. Mas, nos últimos três meses, as chuvas chegaram, graças a Deus, com toda a sua força. Abasteceram os reservatórios do Descoberto e de Santa Maria. O nível do Descoberto está hoje em 63%.

A questão agora é: até quando permaneceremos com o racionamento de água no Distrito Federal? O racionamento é resultado de anos e anos de desleixo na gestão dos recursos hídricos. Faltaram campanhas educativas. Durante décadas, a política era: gaste à vontade contanto que pague a sua conta de água. Uma visão comercial da coisa.

Não, a água não pode ser tratada como um mero produto que se vende e se compra. Pois vai chegar uma hora que dinheiro algum vai resolver a escassez dela. O racionamento acabou tendo seu lado educativo, na marra. Todo mundo sentiu na pele a falta da água. Percebeu a necessidade de economizá-la e promover mudanças na rotina para usá-la de forma mais racional.

O racionamento, no entanto, se estendendo além do devido, vira um bode berrando na sala. Ele berra de sede. Será que depois da barulheira e do extremo incômodo, vai ser retirado da sala para que o anúncio do fim do racionamento seja feito? Se continuar berrando demais, correrá o risco de morrer afogado pelas chuvas que vão cair sobre ele. Seria o Fórum Mundial da Água o momento mais adequado para terminarmos o nosso racionamento? 

A Caesb afirma, oficialmente, que somente depois do período chuvoso, ou seja, lá para maio, se terá uma previsão sobre o fim ou não do racionamento. Mas é fato que, com bode ou sem bode, Brasília, na próxima semana, será a sede de um evento importantíssimo, que atrai a atenção para o nosso quadrado.

O que vamos mostrar da capital para o mundo? É uma oportunidade maravilhosa para promover a cidade como ponto turístico. Teremos a imprensa internacional aqui e uma permanência de estrangeiros por uma semana inteira na cidade. Onde vão comer, onde vão se distrair, que lugares vão conhecer, que lembranças levarão da capital do Brasil? Sinceramente, espero que boas. Mas acho que a cidade não se preparou como poderia. Não está aproveitando essa oportunidade. 

O brasiliense pode e deve participar deste Fórum Mundial da Água, entre 18 e 23 de março. Um grande espaço será aberto ao público: a Vila Cidadã, com uma série de atividades e estandes interativos abordando das mais variadas formas o tema. Estudos, inovações e projetos sobre gestão da água serão exibidos de maneira educativa e lúdica. São esperados cerca de 40 mil visitantes.

Os brasilienses deveriam estar mais envolvidos. Poucos estão sabendo da importância e do impacto desse evento, que, por sediá-lo, é motivo de orgulho para a cidade. Ao mesmo tempo que o racionamento é vexame…

 Somos exemplo da falta de planejamento e do desperdício. Que possamos com nossa experiência aqui em Brasília contribuir com ações efetivas e mais conscientes sobre gestão de recursos hídricos. 

Participe: http://www.worldwaterforum8.org/pt-br

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta