4 de Abril de 2018
Olhar Brasilia
Lá na minha rua

Por onde anda o respeito à faixa de pedestres?

Certamente você já ouviu alguém de outra cidade comentar: impressionante, aqui em Brasília os carros param mesmo! O respeito à faixa de pedestres é, sem dúvidas, uma das nossas maiores conquistas e motivo de grande orgulho para o brasiliense.

Mas essa cultura de paz no trânsito, que é exemplo para todo o país, está em risco. É a conclusão de uma pesquisa coordenada pela ONG Rodas da Paz em parceria com a ONG Andar a Pé e o Coletivo ‘Movimente e Ocupe o seu Bairro’. O estudo, divulgado esta semana, e que contou com apoio da UnB, analisou 340 faixas de pedestres sem semáforos, em 19 Regiões Administrativas do Distrito Federal.

Os dados são alarmantes! Em 42,52% das travessias ao menos um veículo passou direto, sem parar para o pedestre. Ou seja, a cada 10 travessias nas faixas de pedestres do DF, ocorrem cerca de 4 casos em que pelo menos um veículo não para.

As conclusões do estudo são semelhantes à análise do especialista Hartmut Gunther, do Departamento de Psicologia social e costumes no trânsito da UnB: está na hora de um reforço na educação, na fiscalização e na conservação das faixas.

“Eu costumo andar muito pela Asa Sul e pela Asa Norte, e nesses locais as faixas estão visíveis. Mas em outras regiões do DF, como Sobradinho, Riacho Fundo, Samambaia e Ceilândia, por exemplo, existe pouca manutenção”, afirma. 

Mas mesmo onde as faixas estão bem pintadas e visíveis, há muito desrespeito. A pesquisa mostra que a imprudência está em todos os cantos do quadradinho. E, pasme, é um desrespeito consciente! O levantamento concluiu que a maioria dos motoristas infratores acelera mesmo tendo visto a pessoa tentando atravessar. Não é falta de atenção, é falta de respeito mesmo. 

Um problema que seria reduzido caso houvesse uma fiscalização eficiente. O estudo da ONG Rodas da Paz revela que os fiscais, muito presentes na época de implantação da política, há 21 anos, não estão mais em campo. Os pesquisadores não viram policiais, agentes do Detran ou do DER nas faixas durante o levantamento. 

Vale Olhar: Conheça a história do respeito à faixa no artigo do especialista em trânsito, professor David Duarte Lima:  http://www.olharbrasilia.com/2017/09/03/a-faixa/

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta