16 de abril de 2018
Olhar Brasilia
Saúde

Precisamos salvar o Hospital da Criança de Brasília!!!

Por Marcia Zarur

A carga pesada de um hospital já é amenizada, logo na entrada, pelo jeitinho de brinquedoteca. O trenzinho na recepção aplaca um pouco da angústia das famílias e distrai os pequenos pacientes. Paredes coloridas e enfeitadas para encher de esperança o coração apertado pelo diagnóstico de um câncer ou de uma doença rara.

Tudo é decorado com motivos infantis também na sala de tomografia. E a chegada de um barquinho para cobrir a maca do tomógrafo vai substituir um pouco do estresse do exame pela ideia lúdica de um passeio. O equipamento de última geração faz o procedimento em metade do tempo normal.

Na radioterapia, os funcionários compraram e instalaram um DVD da Galinha Pintadinha para tornar o tratamento menos agressivo. Resultado? Puderam diminuir em mais de 60% o uso dos anestésicos tradicionais.

Em cada atendimento, o olhar carinhoso e o sorriso de uma equipe que faz de tudo para diminuir a dor dos pequenos pacientes. Não há nada mais triste do que uma criança doente!

O atendimento humanizado, com equipamentos de ponta e profissionais completamente comprometidos com o bem-estar dos pacientes, diminui um pouco a tristeza que ronda qualquer hospital infantil. Mas tudo isso está em risco!

Padrão de excelência

O Hospital da Criança é referência, não só em Brasília, mas no resto do país. Com reconhecimento de excelência até da Organização Mundial da Saúde. O tratamento digno que todos deveriam ter, e que passa a léguas de distância da maior parte das unidades públicas de saúde, é realidade aqui, na nossa cidade. Motivo de orgulho, reconhecimento e esperança.

Num país onde é tão difícil ver o serviço público funcionando direito, por que atacar e destruir o que se destaca como modelo de gestão e atendimento de qualidade?

É a pergunta que me faço sem parar depois que visitei o hospital. Conversei com famílias de pacientes, com funcionários e gestores. Vi com meus próprios olhos como tudo funciona. E funciona muito bem mesmo!

Apesar disso, a administração do HCB é frequentemente questionada pelo Ministério Público do DF e Territórios. A procuradora Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira e a promotora Marisa Isar entraram, nos últimos anos, com pelo menos seis processos contra a gestão do hospital.

Tentei diversas vezes uma entrevista com a promotora, mas até hoje não obtive resposta. Sou uma grande admiradora do trabalho que o Ministério Público desenvolve. Especialmente o de fiscalização, para que pessoas e instituições andem dentro da lei no “Brasil do jeitinho”. Mas realmente nesse caso tenho muita dificuldade em entender…

Qual é o problema?

A gestão do Hospital da Criança era feita, até a semana passada, pelo Icipe (Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada). Uma Organização Social criada pela ABRACE. Mas, na última sexta-feira, 13, cumprindo decisão judicial, o Instituto colocou à disposição da Secretaria de Saúde a gestão do hospital.

O mais incrível é que a própria Secretaria de Saúde atesta que não tem condições de gerir o Hospital da Criança, e que a administração deveria continuar com o Icipe. Esse também é o desejo dos funcionários e especialmente das famílias das crianças.

E mais: o Tribunal de Contas do DF já aprovou a regularidade do contrato de gestão. O Tribunal de Contas da União também não constatou qualquer tipo de irregularidade. E a Controladoria-Geral do DF aprovou as contas do Contrato de Gestão de todos os anos questionados pelo Ministério Público.

Então qual é o problema? Não houve desvio de verbas ou má administração. Pelo contrário. O Hospital da Criança tem 98,8% de aprovação dos usuários e 96% de satisfação dos funcionários. Nunca vi números assim em qualquer rede pública brasileira, seja na saúde, seja em outra área.

#SomosTodosHCB

Hoje, os funcionários vão trabalhar de preto em sinal de luto pelo processo de destruição que começa a se instalar. E na próxima quarta-feira, dia 18/4, haverá uma grande manifestação, a partir das 9h30, no estacionamento do hospital, pedindo a manutenção da gestão de excelência.

Parece mentira que a população precise se mobilizar para que não mexam no timaço que está ganhando, salvando vidas e proporcionando qualidade de 1o mundo a pacientes que não têm recursos.

Entre pilhas de papéis, analisando formalidades e vírgulas, na burocracia do Ministério Público e nas decisões judiciais estão a vida e o bem-estar dessas crianças. Por isso, faço coro e entro na luta em defesa do nosso Hospital da Criança de Brasília. #FicaIcipe #SomosTodosHCB

Nota do Tribunal da Justiça do Df: O desembargador relator do recurso que envolve a gestão do Hospital da Criança pelo Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada – ICIPE, designou, para o dia 24/04, a realização de audiência de conciliação, para tratar, especificamente da questão, até que os recursos interpostos contra as condenações impostas pela 7ª Vara da Fazenda Pública, sejam decididos. 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta