19 de junho de 2019
Olhar Brasilia
Vitrine Cultural

Festival de Cinema no Paranoá

Evento gratuito acontece nesta semana e traz para a região administrativa mais de 70 produções locais e nacionais.

O FestCineParanoá traz a diversidade social e cultural na produção de filmes e curtas nacionais. As produções independentes e estudantis vindas de vários estados brasileiros, do Distrito Federal e do Entorno, são também as estrelas desse evento.

Ciclo de oficinas, mostra itinerante, rodas de debates, exposição de artesanatos, competição de rimas e muito break. E o que não poderia faltar: cinema dia e noite. Em sua 2ª edição, o Festival de Cinema do Paranoá trará mais de 70 curtas-metragens para o Centro de Desenvolvimento e Cultura do Paranoá CEDEP (Qd 9 Conjunto D) e escolas públicas da região.

A maratona acontece de 26 a 29 de abril (quinta a domingo), a partir das 15h, no local. O evento começa com cinema e show gratuito da recifense, radicada no Paranoá, Martinha do Coco (veja programação abaixo).

O Festival de Cinema do Paranoá já faz parte dos eventos importantes de cinema do Distrito Federal. Neste ano, 25 filmes de Brasília e regiões administrativas e 54 de todo o Brasil ganharão a telona que será montada no CEDEP e no Cine Fusca, em escolas públicas da região. Os curtas-metragens serão divididos em mostras competitivas, paralelas e itinerantes.

Ainda há a Mostra Interativa para Surdos que chega com filmes direcionados à pessoas com deficiência auditiva, exibidos com legendas ou janela de libras. Para esta categoria, a premiação será de R$ 500 para o melhor curta.

Já a Mostra Estudantil Nas Escolas Públicas – Paranoá e Itapoã dará vez aos filmes realizados por alunos do ensino fundamental e médio de escolas públicas destas regiões.

Quem é fera em break e em rima também vai poder entrar no clima da festa e competir.

Será um encontro de várias vertentes da arte, que abrirá espaço para a comunidade do Paranoá, Itapoã e demais regiões, um momento de intercâmbio cultural. Queremos ver as pessoas da nossa região falando de cinema pelas ruas, nos bares e nas conversas do cotidiano”, diz o idealizador do evento, o cineasta Januário Jr, que é morador do Paranoá e sempre tem a região como cenário das suas filmagens.

Maratona cinematográfica

A lista completa e classificação indicativa dos filmes encontram-se no site: www.grupooitavaarte.com.br. A curadoria do evento é assinada pelo Prof. Roberto Medina e pela profª Edileuza Penha. Já o corpo de jurados será composto por William Lopes, Yale Gontijo e Lau Santos.

Selecionado para abrir o festival no dia 26 de abril (quinta-feira), às 19h30, o média documentário Flor do Moinho, da diretora e professora de audiovisual da UnB, Érika Bauer, trará para a telona a história de Florentina Pereira dos Santos. Conhecida como Dona Flor, Florentina é parteira, quitandeira, tecelã, agente de saúde e garimpeira. Teve 18 filhos e adotou 28. A trama, verídica, fala desta senhora que vive no Povoado do Moinho, próximo a Alto Paraíso (Chapada dos Veadeiros – GO).

Já nos demais dias, a programação vai contemplar obras de todo o Distrito Federal e do Brasil.  Dentre os filmes selecionados do DF, destaque para a animação Louise, de Amanda Gomes, Andressa Fernandes e Nathanael Cruz; Doe Flor a Um Desconhecido, de Rafael Trevo, e para o documentário Afronte, de Bruno Victor e Marcus Azevedo. Representando o Paranoá, Je Suis Paranoá, de Daniel Araújo, também é um dos destaques.

Mulheres

A lista de selecionados conta ainda com o sensível documentário A Gota D’Água, realizado por alunos da região de Itapoã. Outro filme local, o documentário Nós por Nós, de Isabela Graton e Mariana Bitencourt, se debruça sobre a falta de segurança das mulheres na Universidade de Brasília.

Idealizador do festival, o ator, produtor, roteirista e diretor potiguar Januário Jr comemora: “É muito gratificante poder fazer esta ponte entre realizadores de quase todos os estados do Brasil e o festival e também mostrar seus olhares e suas experiências aqui, na comunidade do Paranoá e Itapoã”.

Januário frisa, ainda, a importância das mostras dedicadas a pessoas com deficiência auditiva e para as escolas públicas. “Estamos aproximando o fazer cinematográfico para essa nova geração poder expor seus talentos. O FestCineParanoá nasce com essa proposta de promover vários realizadores que não teriam espaços em outros grandes festivais”, pontua.

A 2ª edição do festival é uma realização da Oitava Arte Produções com recursos do FAC – Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, produção da OF Produção Cultural e tem vários apoios e parcerias de instituições e empresas da cidade e do DF.

Programação do II Festival de Cinema do Paranoá

QUINTA-FEIRA – 26/04

Ciclo de Oficinas no CEDEP – Formatação de Projetos Culturais, ministrada pelo Espaço Multiplicidade – 14h30 às 18h00
Mostra Itinerante – Escolas públicas Paranoá e sua área rural, e Itapoã
Cerimônia de Abertura do II Festival de Cinema do Paranoá/DF, para convidados e comunidade – Show de Martinha do Coco e exibição do Documentário Flor do Moinho, 52 min, Direção: Érika Bauer.

Lançamento da Revista Traços

SEXTA-FEIRA – 27/04

16h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
19h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
19h00 – Batalha de rimas, na Praça Central do Paranoá
21h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
Área de convivência e show com Matheus Alves (voz e violão)

SÁBADO – 28/04

13h00 – Batalha de Break, no CEDEP
16h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
17h30 – Debate com transmissão em 360° – LabHinova (Câmara Legislativa do Distrito Federal)
19h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
21h00 – Mostra competitiva do DF e Entorno e Mostra competitiva nacional
Área de convivência e Shows com artistas locais

DOMINGO – 29/04

15h00 – Mostra Interativa para Surdos
17h00 – Mostra Infantil – Animação com Matheus Alves (voz e violão)
19h30 – Cerimônia de encerramento do II Festival de Cinema do Paranoá com premiação
Apresentação da Orquestra do Projeto Música e Cidadania

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta