22 de julho de 2019
Olhar Brasilia

Paraíso na Terra

Samanta Sallum

Um pulinho no paraíso e já volto!

O paraíso é aqui! E confesso que estou com o coração apertado de revelar. Desculpem esse certo egoísmo meu, e até sentimento de posse sobre esse cantinho. Mas, ao mesmo tempo, não consigo mais me conter e quero, sim, compartilhar esse segredo. 

Muitos já conhecem, porém muitos outros, não. Eu pergunto para os amigos e ninguém ouviu falar, com algumas exceções. 

Então, vamos lá! Eu dei meu pulinho no paraíso. Fica a pouco menos de 1 hora de carro da região central de Brasília. chegamos no início da manhã com um delicioso café  à nossa espera, com pão de milho, frutas, cereais, suco verde, entre outras coisinhas.

A natureza na região montanhosa já nos hipnotiza e convida para o “mergulho” profundo e contemplativo. Estamos na reserva ecológica chamada “Paraíso na Terra”. E nem preciso explicar muito o porquê, né? 

Fica na região de Brazlândia. Lá mergulhamos na flora do Cerrado e nas águas das cachoeiras. O acesso tenho de informar que é um pouco restrito. Mas bem viável. 

É uma área fechada, do Instituto Teosófico de Brasília. É preciso ligar pelo menos com um dia de antecedência para agendar a visita. E se paga uma taxa de 95 reais. Que parece cara, mas não é quando se leva em conta tudo que é oferecido. 

O passeio inclui o guia para a trilha, além de duas gostosas e saudáveis refeições: café da manhã e almoço. Além de os recursos ajudarem a manter e preservar o lugar.  

Há cachoeiras de fácil acesso (cinco minutos de carro da casa da administração) e outras mais escondidas, encontradas com meia hora de trilha. 

As borboletas nos guiam pelas flores do Cerrado. Num dia de sol, o cenário é perfeito. Ver aquele lençol verde salpicado de amarelo, rosa e branco.

Depois do refresco reenergizante da cachoeira, as caminhadas de exploração te abrem o apetite. Então, vamos almoçar! 

Kibe assado, omelete com espinafre, batata rústica, arroz, feijão, farofa, moqueca de banana. Hummmm… e de sobremesa pudim e frutas. Tudo num ambiente simples, rústico e muito aconchegante. Lá, não são consumidas carnes. Álcool também não entra no paraíso. 

Mas num paraíso não pode faltar uma coisa: rede! E ela está lá a nos seduzir após o almoço. Um redário chama os visitantes ao descanso. 

Depois da pausa, a natureza nos convida de novo. Vem, vem, vem. Vamos lá nos embrenhar nela. 

No alto, uma construção com colunas brancas e vidros chama a atenção em meio à natureza. O melhor lugar para finalizar o dia, ao cair da tarde. O templo para meditação. 

Hora de voltar. Os visitantes são “expulsos” do paraíso com o fim da tarde. Mas quem quiser pode dormir num dos quartos da pousada, que também funciona lá, se reservar. 

Brasília, seus arredores e seus encantos, quanta beleza, é só a gente querer “Olhar Brasília”. E aproveite o nosso Paraíso.

Para mais informações: (61) 9966-5532.

   

 

 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta