19 de maio de 2019
Olhar Brasilia
Lá na minha rua Mexeu com Brasília, Mexeu Comigo!

Vem Olhar Brasília!

“Mexeu com Brasília, Mexeu Comigo é completamente rock and roll! É a atitude de tentar elevar a autoestima do público de Brasília”, jornalista Marcos Pinheiro, do programa Cult 22, Rádio Cultura.

“Brasília é uma cidade que pulsa, que tem vida, música, arte, tem gente de bem e que querendo o bem acima de tudo!”, Rony Meolly, músico e produtor de eventos.

“Às vezes parece que os espaços em Brasília são para você ficar contemplando de dentro do carro, não, não é isso. É para estacionar o carro, parar o bike, e vir curtir o gramado, o sol, esse céu maravilhoso que temos”, jornalista André Giusti.

Foi nesse clima de encontro com a cidade, com os amigos, com a turma que acompanha o Olhar Brasília, curtindo o cenário em espaço aberto perto da Torre de TV, que celebramos 1 ano do site. Foram 12 meses que valeram por mil! Intensos, com boas surpresas, muitas histórias que compartilhamos com vocês, eventos, e muitos, muitos olhares sobre Brasília. Um espaço colaborativo que conta com a participação voluntária das pessoas que são a cara da cidade. 

No gramado da Funarte, no domingo de 2 de junho, rolaram shows de bandas autorais do projeto Rock na Ciclovia, que teve a edição especial Mexeu com Brasília, Mexeu Comigo!Uma celebração das bandas que fazem parte da nova geração rock Brasília: Vemares, EntreILhas, Culpa é de DulC, Koppa, Kalibre e Circo de Marvin (que veio de Salvador).

“O Rock na Ciclovia é um projeto para dar espaço às bandas autorais, é um projeto sem intervenção de governo, é desse grupo de pessoas que acredita, ama fazer música, fazer rock e mantê-lo vivo na cidade”, disse Philippe Seabra, líder da banda Plebe Rude e criador do Rock na Ciclovia.

O site Olhar Brasília não poderia ter comemorado da melhor forma seu 1 ano. Foi lindo, foi simbólico, foi histórico pra gente! Vem olhar e sentir o clima dessa tarde no gramado da Funarte: clique aqui!

 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta