21 de junho de 2018
Olhar Brasilia

Gilmar Machado

Samanta Sallum

Eu peço desculpas!

Eu, como mulher brasileira, peço desculpas àquela mulher na Rússia que foi alvo de um vídeo feito por um bando de cretinos brasileiros que foram para a Copa do Mundo. Que se acham no direito de humilhar e ridicularizar uma mulher porque ela não é sua parente nem namorada ou esposa. Um desrespeito que a gente no Brasil, na Copa do Mundo, há 4 anos, pediu tanto para que os estrangeiros não cometessem com as nossas mulheres brasileiras e, especialmente, adolescentes e crianças.

Um dos grandes esforços da Copa do Mundo no Brasil foi fazer campanhas e alertas para que os estrangeiros que viessem nos visitar soubessem se comportar e que não viessem em busca do “turismo sexual”, em que cidades brasileiras eram então incluídas. Foi uma das áreas em que trabalhei na Copa, aqui, há 4 anos, na área de Comunicação. Viajei para alguns países para mostrar, com a Embratur, um Brasil melhor, para mostrar que o nosso país era um destino de turismo com a família.  

Então, a gente pede respeito aqui na nossa casa e vai para a casa dos outros e faz essa babaquice? Não, não estou nem entrando em questões feministas, que cabem muito bem aqui também. Estou falando de uma coisa bem básica que se aplica a todos e em todos os lugares do mundo: respeito com qualquer outro ser humano.

É inacreditável como tem homens que não aprendem, não entendem! Rapaz, você saiu de onde? Brotou do esgoto? Você é filho de uma mulher, isso com certeza! Pode ser, ou a vir a ser, pai de uma. Pode ser irmão de uma. Então, é muito simples: experimente colocar no lugar da mulher que você assediou desrespeitosamente, debochadamente, criminosamente, a sua mãe, a sua filha ou sua irmã.

Gostaria de ver uma delas sendo ridicularizada num vídeo sexualmente? É o que eu, muitas mulheres e homens temos a dizer aos cretinos (desculpe, mas só palavras como essa para expressar a indignação) dos brasileiros que nos envergonham com aquele videozinho em que fazem uma mulher russa repetir frases chulas de teor sexual.  

“Tempestade em copo d’água”, um deles alega. E diz ser um “homem de família”. Pior, um deles teve cargo de secretário de Turismo de um município em Pernambuco! Se fosse homem de família, pensaria na família daquela mulher, pois aquela mulher tem pai, mãe, pode ter irmãos. Esse aí não entende nada de família e muito menos de Turismo, senão não teria tal comportamento, pois saberia como mancha a imagem já desgastada dos brasileiros internacionalmente.

É assim que somos definidos fora do país, por esse comportamento de vocês. Brasileiros mal-educados, assediadores, grosseiros. O pior é que vocês, com esse comportamento, incitam estrangeiros e estrangeiras a nos tratarem mal só por sermos brasileiros. As brasileiras podem ser alvo do mesmo tipo de assédio baixo, e os brasileiros serem hostilizados.

Para isso, até que as redes sociais podem ter sua eficiência. Às vezes, da mesma forma que postaram o vídeo como troféu ridículo de bárbaros, receberam pelas redes sociais a indignação de muita gente que é contra isso, que não se sente representada por tal comportamento, muitos homems e mulheres. Que fique mesmo de exemplo, antes de mexer com uma mulher, uma criança, antes de abusar de qualquer tipo de poder, até o da simples diferença de idioma, para ridicularizar ou humilhar. Não é brincadeira, é crime. 

Vergonha de vocês! 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta