2 de julho de 2018
Olhar Brasilia

Fotos: Leiliane Rebouças

Sabores

História, Sabor e Aconchego no Quintal da Vila

Por Leiliane Rebouças

“A realização de um sonho”! É assim que a cozinheira Helena Maria Alves  define a abertura do seu restaurante Quintal da Vila, em sua casa no acampamento da EBE, bem em frente à entrada do Clube da Aeronáutica, na Vila Planalto, há 3 meses.

Um sonho acalentado e ao longo de muitos anos desde que ela chegou à Vila Planalto em 1985, e passou a morar na casa de madeira da década de 1950, cedida por um parente para que vivesse com seus quatro filhos pequenos após a separação. A casa, remanescente da época da construção de Brasília, foi reformada, mantendo suas características originais.

A família fez um investimento, até agora de 200 mil reais. O filho Valdean, o mais entusiasmado com o projeto, deixou de investir na própria empresa para reformar a casa onde cresceu. Ele e os irmãos se empenharam em cada detalhe e buscaram fora de Brasília os materiais que não encontravam aqui. O forro de eucatex, que já não existe, foi trocado por uma placa de madeira similar. As janelas foram refeitas como as originais, ainda que o preço tenha sido salgado: 2 mil reais, cada. E a madeira tem um detalhe no aparelhamento: a curvatura, que também não pôde ser encontrada no DF e foi comprada no Sul do país.

Para Valdean, o gasto tão alto é um investimento, pois ele sabe a importância de preservar uma casa histórica em um bairro tombado Patrimônio Histórico do DF e pretende que o restaurante se torne um ponto turístico de Brasília.

Na Vila Planalto, poucos prédios tombados de madeira resistiram ao tempo. A falta de política governamental de preservação da vila, bem como a ausência de educação patrimonial e fiscalização dos órgãos competentes, contribuiu para a descaracterização do bairro. Mas ainda existem pessoas como a família Alves, que, mesmo sem qualquer incentivo fiscal, se sacrifica para manter sua casa de madeira como na década de 1950.

Dona Helena começou a trabalhar na área gastronômica em 1987, vendendo biscoitos que fazia para os órgãos públicos próximos da Vila Planalto. Em 2001, ela foi trabalhar servindo refeições e café da manhã em uma empresa. Em 2007, decidiu vender marmitas. Ela continua com o negócio das marmitas, na cozinha que construiu em uma área externa da casa.

Este ano, a família Alves abriu o restaurante na área externa da casa, que tem uma belíssima varanda e um grande quintal com pula-pula para a criançada se divertir e lindos bancos de madeira construídos com os troncos de uma árvore que caiu na frente da casa devido a uma chuva forte.

E é no quintal que a família colhe os vegetais orgânicos para a preparação da comida. Há uma grande horta com couve, cheiro-verde, pepino, pimentas, alface e vários outros tipos de verduras e hortaliças. No cardápio, comida caseira goiana: arroz com pequi, guariroba, frango caipira e carne na lata, que consiste em um pernil cozido, curtido na banha de porco por, no mínimo, 20 dias.

O Quintal da Vila é aconchegante, com uma casa histórica, “comida de mãe” e é um ótimo lugar para você conhecer mais sobre a história de Brasília.

Vale olhar: o restaurante Quintal da Vila fica no acampamento EBE, Rua B, Casa 2. Funciona de segunda a sábado, das 11h30 às 15h.

Leiliane Rebouças é bacharel em Relações Internacionais e moradora da Vila Planalto. Uma voz sempre atuante em defesa da cidade e da preservação do patrimônio.

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta