19 de outubro de 2019
Olhar Brasilia

Divulgação

Vitrine Cultural

Slow Filme

Está rolando na cidade um encontro entre a arte cinematográfica e o melhor da gastronomia mundial, com foco na sustentabilidade. Começou esta semana o Slow Filme, com exibição de mais de 20 longas, médias e curtas-metragens, além de palestras, debates, feirinha de orgânicos e passeios para reconhecimento de plantas do cerrado.

Olha ai a programação deste fim de semana, com curadoria do professor, cineasta e crítico Sérgio Moriconi. A entrada é franca.

No Cine Brasília
Sábado, 3/8

11h00 – Dois tomates e dois destinos + Comer o quê?
15h00 – Jaén – Virgen & Extra
17h00 – Faça Homus, não faça Guerra
18h30 – I Villani
20h30 – O chef errante

Domingo, 4/8

10h30 – O Sabor do Desperdício
(Após a sessão, conversa com Paulo Mello, chef, permacultor, empresário e fundador do Instituto Ecozinha)
15h30 – Quando a Itália comia em preto e branco + O Retorno
16h30 – Retrato de um Jardim
18h30 – Lançamento do registro audiovisual, com a presença dos chefs, do projeto Cerrado no Prato – Expedição Kalungas – Vão das Almas/GO + História da Alimentação no Brasil
(Após a exibição, degustação da tradicional paçoca de gergelim, produzida pela comunidade)
21h00 – A Mentira Verde

Durante todo o fim de semana vai ter feirinha na lateral do Cine Brasília, de 14:30 às 22:00, com venda de geleias orgânicas, cervejas artesanais, queijos, PANCs, temperos, molhos, pães e outras delícias.

No domingo, 4/8, o biólogo e doutor em Botânica pela UnB, Marcelo Kuhlmann vai conduzir um percurso de reconhecimento de frutos e plantas do cerrado, a partir das 9:00. O passeio é gratuito, mas está limitado a 30 participantes, saindo da Casa de Chá, ao lado do orquidário, no Jardim Botânico de Brasília. Inscrições gratuitas aqui.

E também no domingo, o restaurante Leão da Serra participa do Festival com um almoço especial. O espaço rural, também dedicado à cultura e às artes, se destaca pela gastronomia brasileira, com influências da cozinha indígena, portuguesa e africana, e o tempero único da chef Lúcia Leão. O encontro será regado a drinks e  muita poesia.

No cardápio um Menu Amazônico, com:
Drink de boas vindas: “Espumanauara”, coquetel de Lambrusco tinto com cupuaçu, remetendo ao encontro das águas
Antepasto: Tacacá ou Rolinhos Da Rocha (folheado de pirarucu com catupiry e saladinha verde)
Entrada: Pirarucu de Casaca
Prato principal: Pato no Tucupi ou Peixe do Maestro (tambaqui assado com banana da terra frita, jambu, farofa de pimenta e caldo de tucupi)
Sobremesa: Peri e Ceci (doce de cupuaçu com castanha e requeijão do sertão)
Preço: R$ 90,00 (individual)
Limite de 30 pessoas
Reservas antecipadas: (61) 98520.1752
Endereço: Setor Habitacional Taquari, Quadra 5, conj. 1, lote 8T

Outras informações sobre o festival Slow Film, pelo telefone: (61) 3443.8891

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta