17 de setembro de 2019
Olhar Brasilia

Raquel Aviani

Lá na minha rua

A Universidade é de Brasília

Por Marcia Zarur

A UnB nasceu quando Brasília ainda era uma criança. A cidade tinha apenas 2 anos quando o projeto de Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira ganhou vida e relevância, como um grande centro de notáveis – responsável pela formação das cabeças pensantes da capital e do país. E seguem as duas assim, até hoje, irmãs e parceiras indissociáveis. 

Enquanto Brasília se prepara para se tornar uma sessentona, a UnB também se organiza para a festa. A reitora, Márcia Abrahão, criou uma comissão que vai pensar, sugerir e elaborar maneiras de integrar ainda mais a UnB ao aniversário de Brasília.

Integrantes da Comissão UnB nos 60 anos de Brasília

Serão duas frentes: um resgate à memória da vida universitária, cheia de histórias e momentos marcantes ao longo das últimas décadas; e um olhar no futuro, na inovação que continua destacando a excelência da instituição.

Presentes para a cidade

A comissão se reuniu pela primeira vez na última sexta-feira (16/8), e já há algumas sugestões de presentes para a aniversariante. Um deles pode ser o restauro do painel do artista Athos Bulcão, no Instituto de Artes da UnB. Ideia da secretária executiva da FundAthos, Valéria Cabral, para a festa de 60 anos.

Há também a possibilidade da instalação de placas, “assinalando locais onde aconteceram fatos marcantes, relevantes ou até dramáticos no Campus Darcy Ribeiro”, como sugeriu o professor emérito da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo José Carlos Coutinho, também integrante da comissão.

Muita história pra contar…

Para quem acompanha a história da cidade, fatos como a invasão da universidade, em 1968, quando a polícia confinou os estudantes numa quadra de basquete, não podem ser esquecidos. A cidade relembrou um pouco dessa época, há quase 10 anos, numa série especial de reportagens do DFTV em comemoração ao aniversário dos 50 anos de Brasília.

Marcia Zarur, a reitora, Márcia Abrahão,
e a jornalista Conceição Freitas

E a universidade continua escrevendo muitas histórias com Brasília e os brasilienses, que morrem de orgulho da UnB, como eu. Ex-aluna, filha de ex-alunos e agora mãe de aluno, faço parte da comissão com uma alegria que não cabe em mim. É com esse entusiasmo que convidamos os moradores da cidade a comemorarem com histórias, depoimentos e sugestões. Afinal, a universidade é nossa!

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta