7 de dezembro de 2019
Olhar Brasilia

Fotos: Gabriela Artemis

Capa Sabores

Sabor Mundo

Por Gabriela Artemis

Segundo o grande poeta português Fernando Pessoa, “a vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes”, e nada melhor que unir a viagem a um dos maiores prazeres do ser humano: comer! Comidas típicas + bebidas típicas em lugares típicos, essa é a soma que, senão todos, muitos turistas procuram pelos cantos do mundo a que chegam.

Para a estreia da coluna, para a qual fui carinhosamente convidada a compartilhar um pouquinho das minhas aventuras gastronômicas, escolhi Portugal, país de origem de Fernando Pessoa, Eça de Queiroz e tantas outras personalidades, mas também dos famosos pastéis de nata, do bacalhau, das queijadas de Sintra, do vinho do porto, da ginjinha… Uma lista quase que interminável de comidas nacionais que todo turista que queira entender um pouquinho melhor a terra de Camões deve colocar no cardápio.

Ao desembarcar do avião na capital lusitana, Lisboa, já percebemos como os portugueses são fiéis à sua culinária. Vários restaurantes e lojas dão as boas-vindas a seus visitantes com vitrines recheadas dos famosos pastéis de nata, com vinhos da região do Douro e de Alentejo e produtos como sardinhas (muito famosas por lá) em lata. Saímos do salão de desembarque com a certeza de que estamos em Portugal!

Nosso roteiro pela terra de Camões se inicia em Lisboa. Lá, ele virou ponto turístico e concorre com um outro ponto turístico! Estou falando do pastel de nata e da famosa casa de pastéis Pastéis de Belém, que surgiu em 1837, quando mosteiros e conventos em Portugal fecharam e os trabalhadores iniciaram a produção desse que seria um dos símbolos dos portugueses. Os pastéis contam com uma massa folhada e um creme de baunilha, porém a receita é guardada em segredo.

Continuando nosso caminho, próximo a Lisboa, chegamos a Sintra, uma cidade muito aconchegante, que parece ter saído de um conto de fadas… Além das paisagens de tirar o fôlego, andar por suas ruelas e descobrir seus encantos, comer um travesseiro (doce folhado com massa à base de amêndoas) ou uma das conhecidas queijadas na Casa Piriquita tem que estar no roteiro. As queijadas se Sintra surgiram nos tempos medievais!

Avançando no mapa português, paramos no Porto… Ah, o Porto! Cidade com cheiro de vinho no ar que conta com várias caves margeando o Rio Douro… Impossível não provar um cálice, no mínimo! A região, distante aproximadamente 300km de Lisboa, é aclamada quando o assunto é o vinho do porto, produzido a partir de uvas provenientes da Região Demarcada do Douro, no norte do Porto.

Na cidade, a Ponte Dom Luís separa o Porto de Vila Nova de Gaia, local onde se concentram as principais caves, produtoras da bebida. Há inúmeras e em várias é possível fazer uma degustação do item mais famoso da região. Eu, quando estive por lá, escolhi a Graham’s, uma cave seletiva e elegante. Indico para aqueles que querem fugir das multidões, pois há algumas bem famosas, mas que contam com filas e horários apertados de visita. Aproveite para degustar o vinho do Porto apreciando a bela vista do Rio Douro, incrível!

Por fim, porém não menos importante, sendo, aliás, a “grande estrela” da culinária portuguesa, o prato mais comum nos cardápios do país: o bacalhau. O peixe, adorado pelos portugueses, surge de diversas formas e preparos: Bacalhau à Brás, com natas, à Gomes de Sá, Espiritual, à Lagareiro… São muitas opções e todas muito gostosas. Sugiro, a cada almoço, escolher uma!

Seja queijada, seja bacalhau, o mais importante é se deliciar com as comidas típicas, pois os sabores ficarão em nossa memória! E, como dizem os portugueses: “Isso é muita bom”, assim mesmo, “muita”!

Gabriela Artemis é formada em Letras, atua como revisora de textos, e, nas horas vagas, arruma a mala e vai conhecer o mundo! Experimentar, degustar, provar, saborear são verbos que combinam com o que ela procura quando chega a um novo local!

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta