16 de maio de 2021
Olhar Brasilia

Gabriel Valle

Marcia Zarur

Brasiliense, sim, com muito orgulho!

Já perdi a conta das vezes que ao pegar um táxi na saída de algum aeroporto tive o seguinte diálogo:

-Bom dia, está vindo de onde?
-De Brasília.
-Ah, a terra dos corruptos?!
As respostas, algumas excessivamente mal-humoradas, vêm à ponta da língua, mas acabo caindo no velho clichê:
-A maior parte dos ladrões é o resto do país que manda pra lá, sabia?!

Acho que não tem coisa que me deixe mais furiosa do que essa imagem distorcida que o Brasil tem de Brasília. A gente sabe o quanto o plano de JK enfrentou resistências, especialmente do Rio de Janeiro (amo o Rio, é bom frisar). A Cidade Maravilhosa perdeu o posto de capital para uma “ideia mirabolante” plantada no meio do cerrado.

Mas o fato é que Brasília vingou, cresceu e floresceu. Há 30 anos, a cidade é considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO e encanta moradores e visitantes pela arquitetura surpreendente e o plano urbanístico revolucionário. Não há nada parecido em lugar nenhum do mundo e eu morro de orgulho disso. Estufo o peito pra dizer: nasci no Hospital da L2 Sul. Tem alguém mais brasiliense do que isso?!

O Olhar Brasília nasceu dessa vontade de gritar ao mundo como a nossa cidade é bela. Temos corruptos aqui também, infelizmente, os vindos de fora e os que se enraizaram aqui. Mas não merecemos aparecer na mídia sempre só dessa forma.

Felizmente, temos várias iniciativas, cada vez mais frequentes, de valorização do nosso quadradinho. Há lojas que surgiram pra estampar Brasília em canecas, roupas e até guarda-chuva.

No Conic, dois andares do Verdurão expõem camisetas com frases que só quem é daqui entende. Sim, nós somos uma cidade jovem, mas já temos as nossas gírias e nosso jeito próprio de falar, e achamos isso “massa, véi”. Andar de zebrinha, chegar à rodô, fazer a tesourinha e subir no balão. Tão Brasília…

A lojinha da Fundação Athos Bulcão traz as estampas dos azulejos em todo tipo de acessório; a BSB Memo ressignificou as nossas premiadas placas de sinalização; e a Square se especializou em lembrancinhas com a cara da cidade.

Isso sem falar das queridas meninas do Experimente Brasília, que não só vendem produtos que remetem à cultura candanga, como nos convidam a mergulhar em cantinhos da cidade com uma visão nova, de redescoberta.

Somos brasilienses, sim, nascidos aqui ou abraçados por essa cidade única. Somos brasilienses, sim, com muito orgulho!

Vale Olhar e exibir o orgulho de ser brasiliese:
a lojinha da Fundação Athos Bulcão no www.fundathos.org.bro Experimente Brasília no www.experimentebrasilia.com.br a BSB Memo no www.bsbmemo.com a Square Brasilia no www.squarebrasilia.com e o Verdurão pelo telefone 3225-6662

Você também pode gostar

6 Comentários

  • Reply
    Sandra Beatriz
    2017-06-08 at 10:39

    Também tenho orgulho desta cidade!

    • Reply
      marcia zarur
      2017-06-10 at 19:41

      🙂

  • Reply
    DANIELA S SIQUEIRA
    2017-06-09 at 10:47

    Amor por essa cidade

    • Reply
      marcia zarur
      2017-06-09 at 22:09

      Amor imenso!

  • Reply
    Alcena CVC
    2017-06-10 at 14:40

    É isso aí Márcia, Brasília e o nosso povo tem o DNA dos desbravadores e a força do cerrado!
    Parabéns amadinha!

    • Reply
      marcia zarur
      2017-06-10 at 19:30

      Nossa Brasília merece ser vista por outros olhares, além do prisma político.

    Deixe uma resposta