8 de maio de 2021
Olhar Brasilia

Fotos de Sandra Beatriz Zarur

Marcia Zarur

Mudanças à vista no Parque da Cidade

Quem não tem uma boa história ou alguma lembrança do Parque da Cidade? Essa imensa e querida área verde está na memória afetiva de Brasília. E podemos nos orgulhar de ter o segundo maior parque urbano do mundo!

Um rolé no parquinho Ana Lídia está na cartilha de qualquer brasiliense que se preze. O foguete é ícone. Eu brinquei, levei meus filhos, e vejo gerações se revezando nessa aventura interplanetária fincada na areia.

Esses dias, conversando com a trupe do Udi Grudi, descobri que, além do memorável foguete, existia ali um escorregador em curva que provocava tombos incríveis nas crianças… (Sobrevivemos pra contar. Rsrs) Histórias de uma época em que aquele conjunto de brinquedos ainda nem se chamava Ana Lídia.

O Parque está no pulmão da cidade. São 4,2 milhões de metros quadrados. É o nosso espaço aberto, democrático, que continua moderno mesmo tendo sido inaugurado em 1978. Um projeto charmoso com a assinatura do arquiteto e paisagista Burle Marx, que recebe quase 40 mil pessoas nos fins de semana.

De tempos em tempos, paira a dúvida sobre uma possível privatização. O anúncio do governo de que faria uma parceria público-privada acendeu a luz de alerta, já que o Parque está longe de se pagar – gera uma receita de R$ 1 milhão por ano e consome R$ 6,5 milhões.

Diante das reações, o próprio governador garantiu que a cobrança de entrada está totalmente descartada. Ufa! Mas as regras da parceria ainda estão sendo definidas.

O que está prestes a começar a valer é o Plano de Uso e Ocupação do Parque, que foi aprovado recentemente pelo Conplan (Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF) e deve ser sancionado pelo governador nos próximos dias.

O Plano pretende proporcionar melhorias na estrutura para os frequentadores, e uma nova entrada para carros pela Estrada Parque Indústrias Gráficas. O local exato para o trânsito de veículos ainda está em estudo.

Além disso, o Plano prevê a instalação de novos quiosques de alimentação, placas de sinalização padronizadas e uma série de obras na área do Parque. Mas sempre de olho na preservação. O projeto é de encher os olhos, falta saber quando isso tudo vai sair do papel, já que o plano é apenas uma diretriz para a gestão do Parque.

Veja algumas propostas do governo que podem ser implementadas no Parque:*
Parquinho Ana Lídia:
– acessibilidade
– construção de anfiteatro
– novos pisos, iluminação, marquise e bancos
– novos brinquedos
– área molhada

Parque das Churrasqueiras:
– instalação de brinquedos
– melhoria da iluminação noturna
– instalação de estruturas de madeira para aumentar as áreas de sombra
– instalação de bancos e lixeiras

Nas demais áreas:
– Construção de parque castelinho, minigolfe e playground
– Construção de nova pista de caminhada
– Construção de parques de skate e patinação

Outros projetos que poderão ser elaborados:
– complexo aquático
– complexo cultural
– vestiários
– quiosques de alimentação
– praça de massagens
– bicicletário
– central de segurança

*Informações do Plano de Uso e Ocupação do Parque da Cidade fornecidas pela Secretaria de Estado de Gestão de Território e Habitação (Segeth).

Guardião do Parque
Enquanto as melhorias não chegam, há quem cuide do Parque por conta própria. O professor de educação física Ray Pereira, de 62 anos, está sempre de olho nas condições das pistas e do laguinho. De tempos em tempos, ele convoca os moradores para atos em defesa do Parque. No início da seca, ele promoveu um abraço ao laguinho, quando o nível da água começou a baixar.  Ele chegou a convidar a população para fazer um mutirão de limpeza nas águas do Parque neste fim de semana. “As pessoas não têm noção da joia que é este Parque. E é nosso, por isso, temos que fazer a nossa parte e preservar. Eu dou aula aqui todos os dias e posso dizer que o Parque é a minha vida”, desabafa.
A faxina estava marcada para sábado, mas hoje, coincidentemente, a administração do Parque resolveu promover uma ação de limpeza na área! 

Você também pode gostar

7 Comentários

  • Reply
    Kátia de Castro Talarico Nogueira
    2017-08-17 at 08:18

    Amei as boas notícias Marcinha … O Parque da Cidade é história viva que bate em nossos corações e de nossos filhos e temos mesmo que cuidar, preservar e usufruir dele com amor. Minhas memórias são as mais lindas???????????

    • Reply
      Marcia Zarur
      2017-08-28 at 13:11

      Sem dúvida! Faz parte da memória afetiva de muitas gerações de brasilienses.

  • Reply
    Creogilda Rollemberg
    2017-08-17 at 14:02

    Não é o segundo maior parque urbano do mundo, mas sim o maior de todos. Supera parques como o Central Park.

  • Reply
    Elza Mello
    2017-08-17 at 17:01

    Muito bom falarem do Parque da Cidade!!
    Espaço que foi , e ainda é , tão importante para a cidade!
    Gostei de ler!

    • Reply
      Marcia Zarur
      2017-08-28 at 13:11

      O Parque é motivo de orgulho para o brasiliense!

  • Reply
    Marcela Mihessen
    2018-02-01 at 10:07

    Adooooro demais esse parque do foguete!! É assim o nome dele para mim! Adoro correr, pedalar, tomar água de côco, ir no Pavilhão, naquele lugar das churrasqueiras, enfim… amo nosso Parque da Cidade!

    • Reply
      Marcia Zarur
      2018-02-04 at 18:52

      É um patrimonio nosso, que merece ser muito bem cuidado e valorizado!!

    Deixe uma resposta