8 de maio de 2021
Olhar Brasilia
Lá na minha rua

Câmara mais barata. Como economizar o nosso dinheiro!

Por Marcia Zarur

Será que é possível diminuir os gastos da Câmara Legislativa do DF? Precisamos acreditar que sim e trabalhar para que isso aconteça, porque adivinha só quem paga essa conta? Exatamente: nós, moradores do DF.

Foi lançado, na noite de ontem, um projeto de lei, de iniciativa popular como o Ficha Limpa, que mostra o caminho das pedras. Cortando em apenas três áreas, a Câmara Legislativa vai economizar 75 milhões de reais por ano. Isso equivale a 300 milhões de reais por legislatura. Dinheiro, que segundo o projeto, seria suficiente para construir 6.000 casas populares.

O primeiro ralo por onde escoa o nosso dinheiro é a verba de gabinete, que só no ano passado consumiu quase 72 milhões de reais. São funcionários escolhidos pelos deputados distritais, em cargos comissionados, sendo que a grande maioria não tem vínculo com a administração pública. Pela proposta, só nesses recursos, haveria uma economia de mais de 48 milhões de reais, por ano.

Nós também pagamos uma conta bem salgada na divulgação da Câmara. Nos últimos dois anos, cada brasiliense desembolsou cerca de R$18,00 para propagandas da CLDF. Parece pouco mas, somando tudo, deu cerca de R$ 52 milhões de reais.

E tem ainda o que é gasto pelos deputados com aluguel de imóveis e de veículos, combustível e contratação de consultoria, entre outros. Eles pagam, e a Câmara devolve os valores com o dinheiro suado do contribuinte. Só ano passado foram 7 milhões de reais em verbas indenizatórias. Muitos estados nem preveem essa regalia.

Esbanjando

Aqui no DF, a Câmara Legislativa gasta mais do que a Câmara Federal, o Senado e a maior parte das assembleias estaduais. Veja no gráfico abaixo, parte do projeto de lei, que compara o legislativo do DF ao de outros estados. 

O projeto detalhado, que você pode ver aqui, demonstra que, adotando algumas mudanças, além de economizar, a Câmara Legislativa vai ter mais eficiência e transparência. Acesse o http://camaramaisbarata.com , informe-se e participe.

O projeto não está ligado a políticos ou partidos, e precisa das assinaturas de 1% do eleitorado, cerca de 20.000 pessoas, para virar lei. A coordenação está sendo feita pelo Observatório Social de Brasília e pelo Instituto de Fiscalização e Controle. 

Você também pode gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta